"“O amor é altruísta, é alimento para a alma. Quando se ama verdadeiramente, não importa onde e como você está. Sempre você irá praticar o bem pensando no seres amados.”"

domingo, 30 de agosto de 2009


Escrevo poesias
como quem precisa estar presente na ausência.
Procuro-me no vazio.
Transmutei-me.
Lentamente minha alma e meu corpo dividiram-se.
O corpo aqui,
a alma longe,
totalmente distante.
Vou encontrá-la.
Escrevendo
ela voltara...
Sem sentido
Marihá

Um comentário:

Célia Romera disse...

Adorei essa separação de corpo e alma, juntando-se enfim numa bela poesia.

Adorei o seu retorno... sentia saudades destes versos doces...

beijo

Célia.

Gosto de ouvir

http://www.youtube.com/watch?v=5hzgS9s-tE8